55

Oitava (cf. nº 54) isolada, talvez parte de um soneto incompleto. Na mesma folha, um esboço de uma carta de Michelangelo endereçada a Tommaso Cavalieri (cf. nº 56), redigida no verão de 1533. Girardi (cf. apresentação) considera que o poema não  tem destinatário definido.

la strada spesso imparo: por meio do odor encontro o caminho para chegar até ti.

I’ t’ho comprato, ancor che molto caro,

un po’ di non so che, che sa di buono,

perc’a l’odor la strada spesso imparo.

ovunche tu ti sia, dovunch’i’ sono,

senz’alcun dubbio ne son certo e chiaro.

se da me ti nascondi, i’ tel perdono:

portandol dove vai sempre con teco,

ti troverrei, quand’io fussi ben cieco.

Eu te comprei, embora muito caro, / um pouco de não sei quê, bem perfumado / porque o odor tantas vezes me ensina o caminho. / Onde quer que estejas, ali também estarei, sem dúvida disso estou certo e convencido. / Se te escondes de mim, te perdoo: / levando-o sempre contigo, onde quer que vás, / hei de encontrar-te, mesmo que esteja cego.

Questa voce è stata pubblicata in Michelangelo. Contrassegna il permalink.

Lascia un commento

Inserisci i tuoi dati qui sotto o clicca su un'icona per effettuare l'accesso:

Logo WordPress.com

Stai commentando usando il tuo account WordPress.com. Chiudi sessione / Modifica )

Foto Twitter

Stai commentando usando il tuo account Twitter. Chiudi sessione / Modifica )

Foto di Facebook

Stai commentando usando il tuo account Facebook. Chiudi sessione / Modifica )

Google+ photo

Stai commentando usando il tuo account Google+. Chiudi sessione / Modifica )

Connessione a %s...