259

Existem três versões deste soneto, que já fora destinado à publicação (cf. apresentação). Entre os versos de um dos autógrafos está um esboço a lapis da fachada da basílica de São Pedro em Roma, cuja projeto começou em 1546. As primeiras versões diferem sobretudo quanto ao destinatário:  no verso 5 constava: “Se eu te amo e comprimento, senhor meu”. Na segunda versão lê-se no verso 9: “Amor não é, senhor meu, aquele amor”. Em dois estudos para tercetos, no verso 12 consta: “Amo de ti, senhor, não o que morre” e “Amo de ti, senhor, não o de fora”. A redação definitiva, como se vê, não mostra destinatário definido, motivo pelo qual foi atribuído entre os destinados a Vittoria Colonna.

9-11 Fallace speme, Falaz esperança: Cada amor que deriva de atração meramente física nunca pode esperar alcançar uma verdadeira satisfação, pois a beleza que inspira é mortal e condenada a um contínuo declínio.
12 Dolce è ben quella, Doce é aquela: a esperança.
13 per cangiar. para trocar …: na hora da morte.
14 qui, aqui: na terra.
  Ben può talor col mie ‘rdente desio
salir la speme e non esser fallace,
ch‚ s’ogni nostro affetto al ciel dispiace,
a che fin fatto arebbe il mondo Iddio?
  Qual più giusta cagion dell’amart’io
è, che dar gloria a quella eterna pace
onde pende i divin che di te piace,
e c’ogni cor gentil fa casto e pio?
  Fallace speme ha sol l’amor che muore
con la beltà, c’ogni momento scema,
ond’è suggetta al variar d’un bel viso.
  Dolce è ben quella in un pudico core,
che per cangiar di scorza o d’ora strema
non manca, e qui caparra il paradiso.

Bem pode às vezes com meu ardente desejo / subir a esperança e não ser falaz, / pois se cada afeto nosso desagrada ao céu / para que teria Deus feito o mundo? / Que razão mais justa para amar-te / senão glorificar aquela eterna paz / de onde vem o divino que em ti faz amar, / e que todo coração gentil faz casto e pio? / Apenas falaz esperança ao amor que morre / com a beleza, que a cada instante se esvai, / sujeita que é ao variar de um belo rosto. / Doce é aquela que num coração pudico, / para trocar de pele ou na hora extrema / não falha e aqui se ganha o para¡so.

Questa voce è stata pubblicata in Michelangelo. Contrassegna il permalink.

Lascia un commento

Inserisci i tuoi dati qui sotto o clicca su un'icona per effettuare l'accesso:

Logo WordPress.com

Stai commentando usando il tuo account WordPress.com. Chiudi sessione / Modifica )

Foto Twitter

Stai commentando usando il tuo account Twitter. Chiudi sessione / Modifica )

Foto di Facebook

Stai commentando usando il tuo account Facebook. Chiudi sessione / Modifica )

Google+ photo

Stai commentando usando il tuo account Google+. Chiudi sessione / Modifica )

Connessione a %s...